6º ANIVERSÁRIO – ARMAZÉM 8

6º ANIVERSÁRIO – ARMAZÉM 8
Armazém 8

Nascido, oficialmente, a 30 de Novembro de 2013 com o pretexto de divulgar e promover as artes e os artistas.

O espaço, que serve actualmente de sede para a Associ’arte – associação de comunicações e artes, realizou, ao longo destes 6 anos, inúmeras iniciativas divulgando artistas e criadores em espectáculos, debates, exposições, apresentações públicas e encontros temáticos.

Neste espaço existe ainda lugar para o ensino e prática de outras actividades que funcionam em parceria com outros mestres e criadores como: artes plásticas, música, teatro, canto, dança, meditação, biodanza e outras formas de bem-estar físico e psicológico.

O Armazém 8 é um espaço aberto e dinâmico em busca de novos públicos, novos artistas e novas formas de arte. Um local onde cada um se torna único e todos se revelam fundamentais.

Da história deste Armazém, TODOS fazem parte! Os que nos visitam, os que trazem a sua arte até nós, aqueles que nos apoiam regularmente, ou em situações pontuais; os que nos enchem de alegria com o seu abraço ou os que nos alertam fazendo-nos melhorar e alicerçar este projecto que partiu de um sonho mas se tornou real.

Uma história que vamos construindo, com maior ou menor dificuldade, mas que nos dá reais motivos para comemorar mais um aniversário onde desejamos contar com a sua presença.

OBRIGADO A TODOS (AS) E SIGAM SEMPRE… AO ENCONTRO DE TODAS AS ARTES!

21:30h – Abertura com recepção aos convidados

22:00h – Entrega do Prémio José Melo 2019 “Coragem de Ficar

João Vicente Marques Bilou 50 anos de carreira (Teatro Amador)

22:30h – Espectáculo com o grupo vocal Maria Monda

Sofia Adriana Portugal, Susana Quaresma e Tânia Cardoso partilham o gosto pela pesquisa vocal, sonora e cénica. Estas três mulheres mondam canções e saberes antigos de forma contemporânea, através do canto polifónico e dos ritmos da percussão.
 Cantam repertório do cancioneiro lusófono ou ibérico, mas também composições originais que acentuam a força da palavra e da poesia.
Mondar significa limpar e afastar o supérfluo e para as Maria Monda o essencial é o tecer das vozes ora em sedas suaves, ora em mantas rudes, cantando em homenagem à Terra-Mãe, de nome Maria.
 Este projecto recebeu o prémio Cantar Abril 2015 – Prémio Adriano Correia de Oliveira – como Melhor Recriação de Canções da Resistência
Sofia Adriana Portugal – Voz e Percussão
Susana Quaresma – Voz e Percussão
Tânia Cardoso – Voz e Percussão
Carregando mapa ....